É razoável, mas é Deus...

"...Olha, não digas nada a ninguém...." (Marcos 1.40-45).
Ontem, escrevi usando o mesmo texto de hoje. Contudo, hoje desejo ver outro aspeto do mesmo.

Jesus mandou ao leproso que não falasse a neguem sobre o que tinha feito por ele. Imaginei, um dos maiores milagres, e recebeu uma ordem que não tinha sentido nenhum. De fato, chega ainda a ser pior, porque as indicações de Jesus, eram tais que os sacerdotes terminariam sendo os que receberiam a "glória" pelo acontecido.

O leproso não entendeu os motivos de Jesus, portanto desobedeceu. Ele saio nas ruas e contou a todos o que tinha acontecido e sobre como Jesus tinha curado ele (vv. 45).

0 comentários:

Aceitando a verdade

"Aproximou-se dele um leproso,* que lhe suplicou, de joelhos: Se quiseres, podes purificar-me. Jesus, movido por compaixão, estendeu a mão, tocou-o e disse: Quero; fica purificado. Imediatamente a lepra desapareceu, e ele ficou purificado. E, advertindo-o severamente, Jesus logo o mandou embora, dizendo-lhe: Olha, não digas nada a ninguém. Mas vai mostrar-te ao sacerdote e oferece pela tua purificação o que Moisés determinou, para que lhes sirva de testemunho. Ele, porém, saindo dali, começou a tornar público o que havia ocorrido e a divulgá-lo por toda parte. Desse modo, Jesus já não podia entrar abertamente numa cidade, mas ficava fora, em lugares desertos. Mesmo assim, as pessoas iam até ele, vindas de todos os lugares" (Marcos 1.40-45).
O texto de hoje nos lembra que Jesus tem sentimentos humanos e uma conexão muito especial com as pessoas que encontrava na sua jornada. Interessante ver hoje, o Jesus que se nós apresenta pelos pregadores. Ele parece ser mais uma "resposta" ao que desejamos, que uma pessoa a que amamos.

Deus deseja ter comunhão plena e intima conosco. Ele deseja compartilhar o Seu Ser. Ele tem sentimentos a favor dos perdidos. Não, com o desejo de julgar, mas de restaurar. Em verdade, muitos são os chamados, mas poucos os eleitos. Contudo, só Deus conhece aqueles que são dEle.

Jesus mostrou compaixão com os que encontrava no caminho. No texto de Marcos, vemos Jesus chegando e curando um leproso. Inclusive, não tive a menor dificuldade de tocar o leproso. Ele estava precisando, não só de cura física, mas também cura espiritual e emocional.

Deus aceita todos os que vem a Ele com humildade de coração e espírito. Ele não está impressionado com nossos títulos, successo ou dinheiro. Deus só deseja um coração aberto para ser moldeado a sua imagem.

Por isso, o Espírito Santo em nós busca fazer que sejamos mais sinceros diante do Pai sobre nossas debilidades (leia 2 Coríntios 12.9-10).

Acho que esta noite devemos vir diante de Deus com um coração quebrantado, reconhecendo nossas debilidades, mas também nossos pecados. Admitamos o que somos diante de Jesus, e permitamos que o Espírito Santo nos mudei para ser como Deus deseja que sejamos.

Vai sendo hora de reconhecer que não somos tão fortes, como achamos. Nem tão importantes, como pensamos. Simplemente, somos pessoas que precisamos ser tocados (de novo) por um Deus que nós ama.

+

0 comentários:

Os seus benefícios


Sento que com grande facilidade esquecemos que é o nosso Deus e Senhor. Escuto tantos irmãos falando das coisas que estão mau, mas será que não esquecemos dos seus benefícios.

O Salmista escreve,
Ó minha alma, bendize o SENHOR, e todo meu ser bendiga seu santo nome.
Ó minha alma, bendize o SENHOR, e não te esqueças de nenhum dos seus benefícios.
É ele quem perdoa todas as tuas iniquidades, quem sara todas as tuas enfermidades,
quem resgata da cova a tua vida, quem te coroa de amor e de misericórdia,
quem te supre de todo bem, de modo que tua juventude se renova como a da águia...
A exortação do salmista é para que não esqueçamos das benções de Deus. Estas não devem ser consideradas sem mais, porque devemos ser um povo agradecido. Pessoas que reconhecemos o que Deus tem feito por nós e, assim, agradecer a Deus por todo o que temos.

Ser agradecidos, requer um exercício constante de louvor e adoração a Deus. Isto só é possível, se permitimos que o Espírito Santo atue nas nossas vidas para que sejamos consciente da grande verdade que, em Cristo, temos todo o que precisamos. Ainda que, possamos ver tantas coisas que não temos, e que desejamos.

O segredo de um cristão maduro não é somente alguém que agradece todo o tempo, mas alguém que sabem que todo é um presente de Deus. Não só a comida e as coisas materiais, mas os amigos, a esposa, os filhos, como também as pequenas coisas do dia a dia.

Se somos transformados para perceber esta realidade, então as palavras de gratidão vão fluir com total naturalidade. A vida de Jesus na sua vida é constantemente uma lembranças que nossas vidas devem glorificar a Deus.

Hoje, com a ajuda do Espírito, faz que sua vida seja um cântico de agradecimento a Deus.

+

0 comentários:

Alcançando a unidade anglicana


Esta última semana, tenho ouvido muito sobre a unidade dos Anglicanos. Também, tenho observado como alguns “anglicanos” tem tomado decisões das quais fiquei mais que surpreso.

Suponho que é cada vez mais obvio para mim que o Anglicanismo, como um todo, já não está integrado e em harmonia. Não existe uma unidade entre os Anglicanos, já seja dentro da Comunhão Anglicana ou fora da mesma.

Portanto, não se pode seguir afirmando a ideia de que o Anglicanismo só existe naquelas igrejas em comunhão com Canterbury. Ainda que, a historia nos mostra que isto já era verdade desde a própria criação da Comunhão Anglicana, porque rapidamente encontramos jurisdições anglicanas, como a Igreja de Inglaterra na África do Sul (CESA), a Igreja Livre de Inglaterra, a Igreja Episcopal Reformada ou a Igreja de Inglaterra no Equador, que não formavam parte da Comunhão Anglicana.

6 comentários:

A visão que transforma o mundo


Tem dias que parece que a vida é que nós leva, e não sejamos nós os que estamos no controle da mesma. Quantas vezes tomamos decisões de que este ano vou perder peso, ou vou escrever um livro, ou vou passar mais tempo com os amigos, mas depois percebemos que nada disso tem acontecido.

A vida é breve demais para perder o tempo em coisas que não sejam significantes para um proposito maior, glorificar Deus. Se nosso desejo é glorificar Deus com nossa vida, então posso afirmar que Deus tem um plano perfeito para sua vida. Este plano perfeito é a visão do Reino.

Eu vivi na Inglaterra por quatro anos. Durante este tempo, trabalhei como ajudante do Reitor de uma paroquia da Igreja de Inglaterra em Leeds. Lembrou uma vez que, enquanto esperava ao Rev. John chegar, passei pelo cemitério onde encontre nomes com datas do século 18. Pensei quantos sonhos não realizados se encontravam naquele lugar.

0 comentários:

O coração salta de prazer


Convido a você, leitor, para que leia o Salmo 28. Não tenha pressa.

No versículo 7, lemos, "O SENHOR é a minha força e o meu escudo; nele meu coração confiou, e fui socorrido; por isso meu coração salta de prazer, e eu o louvarei com meu cântico."

As palavras do salmista são ainda hoje a esperança que nós orienta em meio das dificuldades que enfrentamos. Um coração machucado é um coração triste, contudo podemos ter um coração alegre em meio dos desafios que enfrentamos.

A imagem hebraica de um coração que salta de alegria (vejamos também Jô 37.1; Lucas 1.41-44; Lucas 6.23) nos descreve um coração que encontra uma alegria extraordinária, um prazer que o mundo não pode dar, nem conhecer, porque este só pode ser dado por Deus.

0 comentários:

Somente...


"Somente portai-vos de modo digno do evangelho de Cristo..." (Filipenses 1.27-30)

Quando encontramos palavras como "somente" ou "em todas as coisas" nas Escrituras, nós forçam a repensar aquilo que temos pensando até este momento. Estas palavras nos desafiam a que nossas vidas sejam transformadas pelos ensinos de Cristo. E, os ensinos de Cristo, é a própria vida de Cristo, sendo vividas através de nós.

0 comentários:

Na Sua Presença


Não existe coisa melhor que estar na presença de Deus. O Salmista escreveu "um dia nos teus átrios é melhor do que mil em outro lugar. Prefiro estar à porta da casa do meu Deus a habitar nas tendas da perversidade" (Salmo 84.10).

Sem dúvida, não existe lugar melhor que estar na Sua Presença, e devemos entender que estar na  Presença de Deus é estar no Amor, porque Deus é absoluto Amor. Se estamos na presença de Deus, então estamos na presença do amor transformador que permite que amemos, inclusive aqueles que nós perseguem ou falam mau de nós.

O inimigo nós tenta continuamente a rejeitar ao Amor, e abraçar a ira e rencor. Cada dia somos tentados a esquecer a Amar a Deus e amar as pessoas, percebo com que facilidade isto pode acontecer na nossa vida. Contudo, Cristo nos mostra o caminho certo.

Cristo nunca se defendeu, mas abraço o dor para trazer uma maior vitória. Ele nós ensinou a colocar a outra face. Se desejamos estar na perfeita presença de Deus, então devemos escolher cada dia vivir no amor e caminhar o caminho estreito. E a maioria de vezes se trata de não ser ofendido, ou irritado, ou ferido, pelos atos que são realizados em contra nós.

Amemos e oremos com maior intensidade na presença de Deus. Vivamos no conhecimento de que o único caminho de excelência é o caminho do AMOR.

+

0 comentários:

Quem somos define o que somos


Brennan Manning diz uma vez, "Se existe uma coisa que escuto com claridade crescente, é que Deus está chamando a todos e a cada um dos cristãos para participar pessoalmente no ministério de cura de Jesus Cristo.”

Quando pensamos no que é uma pessoa "curada" de acordo as Escrituras, descobrimos a realidade de que uma pessoa “curada” é aquela que sua identidade se encontra em Deus, e só em Cristo; e não em que fazemos (emprego, responsabilidade), ou no ministério (pastor, ministro de louvor), ou no título (reverendo, diretor executivo, licenciado), ou no que temos (carro, casa, computador).

Este fato nos libera para ser nós mesmos. Descobrimos que nosso valor como pessoas está em quem somos em Cristo.

Isto é o principio da verdadeira cura, porque somos feitos completos em Cristo. Só deste modo, não somos mais formados ou definido pelos medos, fracassos ou no que outros pensam, mas somos regenerados (feitos de novo, ou nascido de novos) e redimidos (salvados) para ser novas pessoas em Cristo.

"Em Cristo," começamos uma nova caminhada em comunidade (a Igreja), porque temos sido justificados por Cristo, e só por Cristo.


+

0 comentários:

A doutrina da graça no Livro de Oração Comum


A Sociedade do Livro de Oração, no seu jornal da edição da Trindade, encontramos um artigo interessante sobre “O Papel formativo do Livro de Oração Comum,” onde se faz um analises sobre o papel do LOC (Livro de Oração Comum) na formação litúrgica.


A questão que gostaria refletir hoje, é a questão pastoral do próprio LOC. O autor do artigo mencionado anteriormente sugere que o aspeto chave no LOC deveria fazer repensar certas questões que temos esquecido.
O que as pessoas entendem do Livro de Oração sobre o significado dos “eleitos,” por exemplo, quando escutamos no Batismo no Livro de Oração que Deus suplicou que a criança possa permanecer “na companhia dos Seus fieis e as crianças eleitas.”
Dairmaid MacCulloch, autor de umas das obras mais recentes sobre a vida do arcebispo Cranmer, sugere que os escritos de Cranmer expressam um entendimento da graça de Deus que apontam claramente a doutrina da predestinação.

0 comentários:

Vivendo o Evangelho no Culto


Nas igrejas anglicanas, adoramos de acordo com o culto da igreja primitiva e a tradição reformada, refletindo as mudanças próprias da Reforma Protestante para trazer de volta ao culto a prática cristã antiga e bíblica. Mas nós não fazemos isso simplesmente por amor as tradições antigas. Louvamos assim, porque desejamos viver o Evangelho visivelmente no nosso culto.

O Culto público da Igreja não é, principalmente, sobre ter uma grande experiência com Deus. Tampouco é sobre a importância de ouvir uma grande palestra, afinal a congregação reunida não é um auditório. Pelo contrário, o culto público é do povo de Deus, que vive o evangelho junto, sendo moldados mais uma vez com a história redentora de Deus.

0 comentários:

A riqueza Anglicana



Uma das riquezas do Anglicanismo é os diversos autores sobre espiritualidade e teologia que temos, isto permite ter uma grande variedade de recursos disponíveis na nossa caminhada cristã. Se pensamos com autores anglicanos atuais, a maioria de nós temos ouvido falar deles. Estou falando de John Stott, J.I. Packer, Michael Green, Os Guinness, C.S. Lewis, N.T. Wright e Alistair McGrath.

Também, existe autores clássicos que, sendo anglicanos, muitos não perceberam que eram, como J.C. Ryle, João Wasley, Richard Baxter, George Whitefield, William Wilberforce, entre outros.

Estes são os autores mais conhecidos entre o público brasileiro. Interessantemente, existem muitos outros autores que tem publicado diversos livros que, agora, se encontram em português.

Possivelmente, se encontre alguns autores anglicanos entre os seus autores cristãos favoritos. Se toma um instante para pesquisar seus autores, será surpreendido como muitos temos sido.

+

3 comentários: