Sempre reformando

O primeiro lema que tinha a Igreja Anglicana Reformada do Brasil era “igreja reformada, sempre reformando.” Este lema não foi criado pela IARB, já que tal lema foi fruto da Reforma Protestante. Contudo, mostra um tema importante no qual todos precisamos refletir e pensar, como membros da Santa Igreja de Cristo.
Em Jeremias 6,16, lemos “Assim diz o SENHOR: Ide às ruas, olhai e perguntai pelos caminhos antigos, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para vós. Mas eles disseram: Não andaremos nele.
Neste texto bíblico, Deus tem chamado o Seu povo de volta à obediência pela palavra de Deus da qual eles tinham abandonado. Tinham mudado, mas mudado no sentido errado. Tinham reformado suas crenças e atitudes, mas na direção errada.
Precisavam arrepender-se das suas mudanças, e voltar aos caminhos e crenças antigas, as quais são mencionadas no texto como “caminhos antigos” e “bom caminho.” Infelizmente, percebemos que eles não se arrependeram das suas mudanças e buscaram os caminhos do Senhor. Continuando ‘reformando’ na direção errada.
Se percebemos, se pode reformar na forma certa ou errada. Se pensamos quando reformamos uma casa, existem muitas formas que a mesma pode ser reformada. Inclusive, algumas pessoas falam que estão reformando a casa, quando estão fazendo uma casa nova, na verdade, sendo que só permanece a fachada exterior.
Se pensamos nisto, observamos que o lema “sempre reformando” pode ser uma atitude positiva de renovação e fortalecimento da Igreja, ou pode ser um erro com grandes consequências. Tudo vai depender da direção que tal reforma nos leve. Se a reforma nos leva longe dos caminhos antigos, qual é o bom caminho, isto é um grave erro. Isto era o que Israel estava fazendo e, infortunadamente, é o que a Igreja de Cristo, às vezes, fez também.
Hoje em dia, se fala muito da necessidade de uma segunda Reforma. Ou de manter o espírito de sempre reformando. Isto se considera como um sinal de que a Igreja está avançando e fazendo progressos nos propósitos de Deus. Outros podem pensar que a idéia de “sempre reformando” seja sempre um erro, porque a Igreja já foi reformada e as coisas estão perfeitas como estão hoje em dia. Contudo, devemos entender que o propósito dos Reformadores não era criar uma nova igreja, nem no início separar-se da Igreja de Roma. O desejo era reformar a Igreja de Cristo que tinha sido corrompida, e cujos fundamentos estavam abalados profundamente. Os Reformadores desejavam reformar a Igreja aos caminhos antigos e bons da igreja primitiva. Ser Reformado significa voltar a ser um reflexo da igreja primitiva, da verdadeira Igreja que Jesus estabeleceu, e refletir a Igreja visível de Cristo em meio da sociedade.
Portanto, se faz necessário seguir reformando cada vez que a igreja abandona os caminhos do Senhor.
Infelizmente, tenho a sensação de que muitas das mudanças que estão acontecendo na Igreja de Cristo, hoje em dia, estão tomando a direção errada. São movimentos que nos dirigem longe de onde deveríamos estar, e não nos levam onde devemos estar.
Eu acredito que a Reforma foi importante, porque colocou os pilares necessários para manter a igreja saudável, se a sã doutrina continuasse presente e fosse vivida pelos cristãos. Nesse sentido, acho que os aspectos mais importantes já foram feitos pelos Reformadores. Infelizmente, as igrejas tem esquecido os ensinos da Reforma e o exemplo da igreja primitiva. Outros irmãos tem acreditado que não precisam mais dos outros, porque suas igrejas tem crescido muito e se acham autossuficientes. Outros seguem na busca da pureza da igreja que somente tem causado divisão atrás de divisão, e tal igreja ainda não foi encontrada. Tem as igrejas que enfrentaram fortes controvérsias e, na defesa da fé, perderam de vista a catolicidade da igreja e se envolveram em assuntos locais.
Todos estes fatores, e outros, tem feito que muitos dos desenvolvimentos da igreja contemporânea, nos tenham levado na direção errada. Se faz necessário entender o que os Reformadores tentaram fazer, e voltar a perceber que a idéia não era criar uma igreja reformada, mas voltar à igreja primitiva. Estes são os caminhos antigos e bons os quais precisamos voltar a descobrir hoje, como a Reforma fez cinco séculos atrás. Se as reformas nos levam longe de tal fé, culto e disciplina, podemos ter certeza que estamos indo na direção errada.
Os Reformadores foram capazes de entender o tempo em que viviam, e trazer os ensinos necessários para que a igreja voltasse a obedecer a Deus, ao mesmo tempo que respondiam o seu contexto sociocultural. Se as mudanças que se levam a cabo na igreja hoje, são uma desculpa para levar-nos mais longe da prática histórica, a fé bíblica, a liturgia divina e a disciplina reformada, em vez de levar-nos mais perto delas; então, estaremos perto de começar uma jornada que nos levará a abandonar a prática e fé que a Igreja de Cristo tem defendido e vivido nos últimos 2,000 anos.
As mudanças são necessárias, já que os tempos mudam e as sociedades se transformam, e a iniquidade cresce quando a presença da Cristiandade diminui. Sejamos precavidos nas mudanças que realizamos, já que uma pequena mudança hoje, pode ter resultados profundamente negativos amanhã. Se as mudanças são simplesmente para tentar conformar aos desejos das pessoas, então podemos ter certeza de que estaremos no caminho errado. Afinal, as pessoas nem sempre querem, nem desejam, o evangelho de Jesus Cristo. O Antigo Testamento nos mostra em inumeráveis ocasiões como o povo de Deus abandonou Deus por outros ídolos, ou desejos carnais.
O desejo de levar o evangelho ao mundo, surge do próprio desejo de Deus. Já que Ele enviou seu filho unigênito, Jesus Cristo, para nos ensinar seus caminhos, morrer na cruz por nós e nossos pecados, e ter a esperança eterna da vida. Contudo, nem tudo vale para preencher nossas igrejas, e conseguir multidões. Não esqueçamos que Jesus teve multidões seguindo a Ele, e, na hora da verdade, esteve sozinho na Cruz. As multidões mudam, conforme o vento sopra. Evidentemente, não podemos usar isto como desculpa para não sermos sensíveis à cultura onde estamos trabalhando em favor do Reino de Deus.
Toda mudança positiva não vai mudar o conteúdo, nem as formas, nem a prática, simplesmente permitirá apresentar de forma clara e entendível a mensagem do evangelho, os ensinos de Cristo e os mandamentos de Deus. Nunca será uma queda dos valores e princípios do Reino de Deus.
Por certo, sempre deveremos estar prontos para receber as críticas e o mal entendidos que viver seguindo o exemplo de Cristo nos traz, quando tais ensinos são vividos na sua plenitude. Se aprendemos as Escrituras, então viveremos as Escrituras, se estas são nossa crença mais firme. Qualquer reforma ou mudança que não honre a Deus, deve ser evitada. E somente aquelas mudanças e reformas que levem ao povo de Deus a um maior entendimento e obediência bíblica em ordem de ser sal e luz no mundo, honram e glorificam Deus.
As mudanças e reformas devem sempre levar-nos a uma vida de maior obediência a Deus. “Sempre reformando” é um compromisso de ter a Casa de Deus em ordem, conforme Deus deseja que a Igreja de Cristo seja, se comporte e atue.
Finalmente, talvez, tenhamos que considerar a simples realidade de que a frase “sempre reformando” seja também aplicável às nossas vidas. Somos pecadores que precisamos crescer na graça e santidade, sempre reformando nossas vidas para conformar-nos cada dia mais a Cristo.
Os Anglicanos desejamos seguir os caminhos antigos e bons, e, pessoalmente, sou um pecador que constantemente precisa reformar-se para ser mais como Jesus Cristo, cada dia, todos os dias.
A Deus seja dada toda a glória, agora e para sempre. Amém.

+

0 comentários: