O silêncio


"Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra" (Salmos 46.10)

Palavras, palavras são encontradas onde seja que nos encontramos. Temos muitas, talvez demasiadas. As palavras são ditas e, logo, esquecidas. As palavras vem e vão, mas o silêncio sempre é quebrado por elas.

O silêncio, este velho amigo esquecido, se faz cada dia mais difícil encontra-lo. Será que esquecemos, Jesus deseja o mesmo. Nele, encontrava a presença do Pai.

O desejo de ouvir ao Pai é menor que o gosto de ouvir nossas próprias palavras. Apesar disso, será que já nem reconhecemos a voz do Pai. Agitados pelos barulhos estridentes ao redor.

Se fossemos capazes por um momento, abandonar nossas razões, e abraçar o silêncio; talvez, surpreendentemente, ouviríamos a voz do Amado. Que doce alegria é para o amante ouvir a voz da amada.

Mas... não temos tempos. Corremos para a igreja, para a telenovela, para ver o jogo de futebol, para... tantas coisas que nos distraem da Verdade.

E seguimos olhando com desprezo a igreja; sem perceber que somos a causa do estado de coisas. A Igreja é bela, santa e perfeita, enquanto nós... bem, nós somos pecadores, detestáveis e despreciáveis.

Palavras, temos mil. Mas o silêncio é... mais desejado que todos os tesouros do mundo.

Tomei um tempo para entrar no Trono da Graça, no silêncio da esperança.

+

0 comentários: