Aceitando a verdade

"Aproximou-se dele um leproso,* que lhe suplicou, de joelhos: Se quiseres, podes purificar-me. Jesus, movido por compaixão, estendeu a mão, tocou-o e disse: Quero; fica purificado. Imediatamente a lepra desapareceu, e ele ficou purificado. E, advertindo-o severamente, Jesus logo o mandou embora, dizendo-lhe: Olha, não digas nada a ninguém. Mas vai mostrar-te ao sacerdote e oferece pela tua purificação o que Moisés determinou, para que lhes sirva de testemunho. Ele, porém, saindo dali, começou a tornar público o que havia ocorrido e a divulgá-lo por toda parte. Desse modo, Jesus já não podia entrar abertamente numa cidade, mas ficava fora, em lugares desertos. Mesmo assim, as pessoas iam até ele, vindas de todos os lugares" (Marcos 1.40-45).
O texto de hoje nos lembra que Jesus tem sentimentos humanos e uma conexão muito especial com as pessoas que encontrava na sua jornada. Interessante ver hoje, o Jesus que se nós apresenta pelos pregadores. Ele parece ser mais uma "resposta" ao que desejamos, que uma pessoa a que amamos.

Deus deseja ter comunhão plena e intima conosco. Ele deseja compartilhar o Seu Ser. Ele tem sentimentos a favor dos perdidos. Não, com o desejo de julgar, mas de restaurar. Em verdade, muitos são os chamados, mas poucos os eleitos. Contudo, só Deus conhece aqueles que são dEle.

Jesus mostrou compaixão com os que encontrava no caminho. No texto de Marcos, vemos Jesus chegando e curando um leproso. Inclusive, não tive a menor dificuldade de tocar o leproso. Ele estava precisando, não só de cura física, mas também cura espiritual e emocional.

Deus aceita todos os que vem a Ele com humildade de coração e espírito. Ele não está impressionado com nossos títulos, successo ou dinheiro. Deus só deseja um coração aberto para ser moldeado a sua imagem.

Por isso, o Espírito Santo em nós busca fazer que sejamos mais sinceros diante do Pai sobre nossas debilidades (leia 2 Coríntios 12.9-10).

Acho que esta noite devemos vir diante de Deus com um coração quebrantado, reconhecendo nossas debilidades, mas também nossos pecados. Admitamos o que somos diante de Jesus, e permitamos que o Espírito Santo nos mudei para ser como Deus deseja que sejamos.

Vai sendo hora de reconhecer que não somos tão fortes, como achamos. Nem tão importantes, como pensamos. Simplemente, somos pessoas que precisamos ser tocados (de novo) por um Deus que nós ama.

+

0 comentários: