Os anglicanos somos reformados?


Pode ser que muitos neguem o que é óbvio. A Igreja de Inglaterra é uma igreja reformada e protestante. Se existe uma coisa que une os anglo-católicos e evangélicos, se encontra na afirmação de ambos de que os Anglicanos não são reformados. 

Não faz sentido aceitar as falsas premissas de que existe uma teologia Reformada que é diferente a teologia Anglicana.

Na Igreja de Inglaterra conviviam diversas sensibilidades, com certa diversidade. Contudo, a posição doutrinal do Anglicanismo é, e foi, claramente Reformada. A maioria dos “Puritanos” eram Anglicanos. Alguns defendiam um sistema de governo presbiteral, mas se consideravam parte da Igreja de Inglaterra. A lista tem nomes como Perkins, Preston, Calamy, Twisse, Gataker, Vines, Cornelius Burges, entre outros.

Existe uma tentação de enfrentar os “Puritanos” e os “Anglicanos.” A idéia é que os Puritanos eram os Reformados, podiam ser parte da Igreja de Inglaterra, mas eram um projeto “totalmente” diferente. Isto não mostra toda a realidade.

Nomes, como Peter Martyr Vermigli e Martin Bucer, mostram uma presença reformada anglicana no principio. Knox trabalhou pessoalmente no Livro de Oração Comum com o Arcebispo Tomas Cranmer. Sem esquecer nomes, como William Tyndale, Tomas Cranmer, John Frith, Hugh Latimer, Nicholas Ridley, John Hooper, Edmund Grindal, John Whitgift, George Abbot, John Jewel, Richard Hooker, John Davenant, Samuel Ward, Joseph Hall, James Ussher e William Bedell.

Muitos deles bispos e arcebispos, e os dois últimos eram anglicanos irlandeses.

Inclusive, John Overall e Lancelot Andrewes se consideravam melhor, como reformados moderados. Overall pensou que estava promovendo uma “Via Media,” contudo quando Davenant apresenta esta “via media” no Sínodo de Dort, ela é aprovada.

Sem dúvida, existe uma diferença entre o Anglicanismo e o Presbiterianismo atual, mas isto não faz de um mais Reformado que o outro. Talvez, o Anglicanismo tem sofrido o liberalismo e os anglo-católicos, mas os Presbiterianos tem sofrido também o liberalismo, a teologia de libertação e a neo-ortodoxia.

Se observamos a teologia Reformada do século 16 e 17, podemos ter certeza que o Anglicanismo era plenamente Reformado, teologicamente.

Acredito que a Igreja Anglicana é claramente Reformada, Protestante e Evangélica. Por isso, sou Anglicano.

+ Serie: Porque sou Anglicano +

0 comentários: