Por favor, me deixem ser religioso


Esta é a imagem que muitos tem na cabeça quando pensam sobre uma pessoa que é religiosa. Ou pode ser que seja outra imagem de falsa santidade, também.


Sempre fico surpreso como as pessoas temos a capacidade de mudar as palavras e seu significado, sem perceber se estamos fazendo o correto. Parece ser que levar pessoas a Cristo, justifica qualquer meio para fazer isso.

Faz tempo que escuto entre os círculos evangélicos a frase, “o cristianismo não é uma religião, é uma relação.” Nossa, será que é isso mesmo?

Entendo que a idéia atrás deste pensamento surge a partir de que o Cristianismo não é uma série de regras sem mais, ele é uma relação pessoal com Cristo.

O problema surge quando analisamos este pensamento à luz das Escrituras e a razão; principalmente, o texto bíblico que sugere que uma relação de proximidade está ligado a seguir umas “regras.” Em João 15.14 lemos, “Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.” Se lemos o contexto do versículo (João 15.9-17) podemos ver que está ligado aos mandamentos de Deus.

Agora, usemos a razão (a sabedoria humana) através da própria definição do Dicionário Priberam de Língua Portuguesa:

religião
s. f.
1. Culto prestado à divindade.
2. [Por extensão]  Doutrina ou crença religiosa.
3. [Figurado]  O que é considerado como um dever sagrado.
4. Reverência, respeito.
5. Escrúpulo.
6. Comunidade religiosa que segue a regra do seu fundador ou reformador.

As quatro primeiras definições encontramos na  fé Cristã, e a última faz uma referência a ordens religiosas ou igrejas onde a doutrina do fundador tem uma grande importância; p.e., os Franciscanos, os metodistas, entre outros.

Agora bem, o que a Bíblia fala? Será que encontramos a palavra religião nas Escrituras?

Em Tiago 1.26-27, “Se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua religião não tem valor algum! A religião que Deus, o nosso Pai aceita como pura e imaculada é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades e não se deixar corromper pelo mundo.”

Assim, se entendemos corretamente os ensinos das Escrituras, então chegamos a conclusão de que o Cristianismo é, de fato, uma religião, contudo não qualquer religião. Ela é a única religião verdadeira.

E, voltando a Tiago, realmente chego a conclusão de que quero ser um religioso, porque desejo seguir os ensinos das Escrituras:
- Refrear a língua. 
- Seguir a  religião pura e imaculada que Deus aceita. 
- Quero cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades 
- Não quero ser corrompido pelo mundo.
Quero ser sim, um religioso... por favor, me deixem ser um religioso. E já que estou pedindo um favor, peço que deixem de usar frases feitas sem sentido, e busquem a pureza da palavra de Deus.

A nossa relação com Deus é uma relação de pacto (aliança), na qual entramos pela obra redentora e regeneradora da Trindade, com o propósito de ser o Corpo de Cristo, a Igreja, na Terra.

Portanto, hoje, me comprometo a ser um homem religioso, mas só seguirei a verdadeira religião de Cristo, que é pura e imácula.

A Deus seja dada toda a glória!!!



3 comentários: