Crescendo na Graça - Do pecado depois da Conversão



Nem sempre é fácil compreender a maravilhosa graça. As pessoas pensam, "se somos salvos pela graça, sem ter a necessidade de fazer obras para agradar e ganhar o favor de Deus, então que nos vai impedir de seguir pecando? Ou fazendo o que eu quiser?" As pessoas que fazem esta pergunta, ainda não perceberam que a graça de Deus nos alcança e nos liberta do pecado. Não somos mais a mesma pessoa, nem temos a mesma natureza, ainda que evite no coração as tentações e a debilidade da carne.

O cristão não é alguém que não peca, é alguém que não se agrada dele e se entristece diante do pecado que habita nele. O cristão não é uma pessoa perfeita, sem defeitos, somente é uma pessoa que acredita em Deus e deseja seguir os passos de Cristo pelo poder do Espírito Santo. É uma pessoa que está sendo transformada dia atrás dia. Por isso, diariamente, peca contra Deus, porém se arrependem e busca o auxilio do Espírito santo para ter uma vida transformada mais a imagem de Cristo.

O artigo de fé de hoje tenta responder aqueles que afirmam um cristão nunca poderia pecar depois de ser cristão. Essa ideia promove a visão errônea, sem base bíblica, de que o cristão é perfeito, sem pecado. Enquanto isto não é verdade.

ARTIGO XVI - DO PECADO DEPOIS DA CONVERSÃO
NEM todo o pecado cometido de bom grado depois da conversão é pecado contra o Espírito Santo, e imperdoável. Por isso não deve negar-se a graça do arrependimento aos que houverem caído em pecado depois da conversão. Depois de termos recebido o Espírito Santo, podemos apartar-nos da graça recebida, e cair em pecado, e, pela graça de Deus, levantar-nos de novo, e emendar a nossa vida. Devem, portanto, ser condenados os que dizem que já não podem mais pecar enquanto viverem aqui, e os que negam a possibilidade de perdão às pessoas verdadeiramente arrependidas.

O artigo de fé hoje tenta esclarecer uma questão antiga, a qual ainda hoje precisa de resposta. No inicio do século IV, as perseguições do Imperador Romano (Diocleciano) no Norte da África fizeram que muitos cristãos acabassem rejeitando sua fé Cristã. Abraçaram o paganismo para conseguir salvar suas vidas. Isto levou a que, uma vez passado o perigo, estes cristãos pediram voltar a comunhão na Igreja. A resposta do novo Bispo eleito de Cartago, Donato, foi que eles não poderiam ser recebidos de volta; porque tinham cometido um pecado terrível, depois de ter recebido o Santo Batismo. Isto causou uma cisma entre os partidários de Donato e a posição da Igreja que defendiam a possibilidade de receber de volta aqueles que se arrependiam com coração sincero e mudança de vida.

Bispo Donato e seus seguidores não compreenderam a graça de Deus. É verdade que, uma vez convertidos, somos santos diante de Deus pelos méritos e a obra expiatória de Cristo na Cruz. No entanto, ainda estamos sido regenerados e santificados. O apóstolo Paulo escreveu, "E todos nós, que com a face descoberta contemplamos a glória do Senhor, segundo a sua imagem estamos sendo transformados com glória cada vez maior, a qual vem do Senhor, que é" (2 Coríntios 3:18).

Se você observa sua vida cristã, poderá perceber como Deus tem mudado sua vida através dos anos. Ele ainda está te mudando e transformando a cada dia. Esta é a maravilhosa graça de Deus. Ainda quando nos apartamos dEle, existe a possibilidade de nos arrepender e ser perdoados pelo Senhor. Deus é um Deus misericordioso e bondoso. Sempre pronto para perdoar os pecados daqueles que se arrepende dos seus erros e mostram fé em Jesus Cristo (Atos 3:19, 20).

Isto levanta a questão do pecado imperdoável. "Eu asseguro que todos os pecados e blasfêmias dos homens lhes serão perdoados, mas quem blasfemar contra o Espírito Santo nunca terá perdão: é culpado de pecado eterno" (Marcos 3.28-29). Quais pecados são perdoáveis? E quais não?

A Bíblia nos mostra exemplos de pecados que são perdoados. Em 1 Coríntios 6.9-11, encontramos adúlteros que foram perdoados quando se arrependeram e mudaram de vida, recebendo o perdão de Deus. Outro caso interessante é o próprio testemunho do apóstolo Paulo que tinha recebido o perdão de Deus quando agira em ignorância contra Deus (1 Timóteo 1.13).

Talvez, o leitor se pergunte, será que eu tenho cometido um pecado que seja imperdoável por Deus? Deixe que te pergunte qual é sua reação diante do pecado na sua vida. Você sente prazer neles? Ou deseja mudar? Não responda rapidamente, toma um momento e reflita. É verdade que temos caído no mesmo pecado em várias ocasiões, inclusive outros percebam do nosso pecado, porém se o seu coração não está endurecido contra Deus e deseja obedecer ao Senhor (Provérbios 24.16), então tenha a certeza de que não tem cometido o pecado imperdoável.

Ainda que se senta com um sentimento de culpa pelos seus pecados presentes ou passados, isso não deve ser confundido com o fato de ter cometido o pecado imperdoável. Lembre-se as palavras do profeta Jeremias, "O coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo?" (Jeremias 17:9). Deus te perdoa, se você se arrepende dos seus pecados, ainda que tenhamos um forte sentimento de culpa. "Assim saberemos que somos da verdade; e tranqüilizaremos o nosso coração diante dele quando o nosso coração nos condenar. Porque Deus é maior do que o nosso coração e sabe todas as coisas" (1 João 3:19,20).

Judas foi uma das pessoas que claramente cometeu o pecado imperdoável. Ele chegou a falar sobre as necessidades dos pobres, enquanto ele roubava dinheiro (João 12.4-8). Ele estava tão perdido no seu pecado que vendeu a vida de Jesus por 30 moedas de prata. Jesus diz dele que era o filho da destruição (João 17:12). Jesus sabia que Judas nunca se arrependeria sinceramente. Em vez de confessar seu pecado a Deus, ele entregou o seu Senhor (Mateus 27:3-5; 2 Coríntios 7:10).

Aquele que tem cometido o pecado imperdoável, está tão decidido a praticar o pecado que nunca mais vai mudar sua atitude ou suas ações. Ele tem um coração endurecido pelo poder do pecado (Hebreus 3.12-13). O coração de uma pessoa assim pode ser comparado a um vaso de barro que foi para o forno. Ele não pode ser mais modificado. Seu coração se opõe a Deus de modo permanente (Isaías 45:9). Por isso, seu pecado é considerado imperdoável (Hebreus 10.26-27).

Aqueles que temos fé em Cristo e nos arrependemos sinceramente dos nossos pecados, clamando ao Espírito Santo que nos ajude a viver agradáveis ao Senhor e para a glória de Deus, podemos ter a certeza de que Ele nos não abandona e, com certeza, perdoa aquele que sinceramente deseja rejeitar as obras contrarias a lei de Deus. O mundo, talvez, não esqueça dos nossos erros passados, porém a graça de Deus nos alcança e nos limpa de toda a culpa passada para ser transformados a imagem de Cristo, dia a trás dia.

A segurança da nossa salvação está em Cristo. Nada nos pode separar do Senhor. O apóstolo Paulo escreveu assim, "Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor" (Romanos 8.38-39). Nada te poderá separar do amor de Deus, ainda se enfrenta as lutas mais desbastadoras. Não escute seu coração, ouve a Palavra de Deus e tenha fé de que Ele vai fazer aquilo que o Senhor prometeu que ia fazer na sua vida por Cristo, para Cristo e em Cristo.


TEXTOS PARA MEDITAR

Lucas 15.11-32; Romanos 8.38-39; 2 Coríntios 2.5-11; 1 João 2.1-17.



PERGUNTAS PARA REFLETIR

- O que é o Donatismo?

- O que é o pecado imperdoável?

- Como podemos certeza de que nossos pecados tem sido perdoados?



LIVROS PARA SEGUIR CRESCENDO NA GRAÇA

LLOYD-JONES, Martyn, Salvos Desde A Eternidade, Editora PES, SP

RYLE, J.C., Santidade, Editora Fiel, SP.

YANCEY, Philip, Maravilhosa Graça, Editora Vida, SP.

ZAGARI, Mauricio, Perdão Total, Editora Mundo Cristão, SP.

0 comentários: