Natal inspira a jornada a cidade de Deus



Natal nos abre a realidade da eternidade. Percebemos o mundo que se abre diante de nos, como filhos do Eterno. Assim, vivemos o prazer do Pai de unir em Cristo todas as coisas, transformando este maravilhoso e incrível mundo que tem sido arruinado pela maldade. Esta é nossa paixão, participar da criação dos sonhos de Deus. O Reino de Deus se abre diante de nós, se acordamos dos nosso sonhos. Alguns reclamam os seus direitos de ter e levar armas, enquanto eu desejo o direito de dançar, cantar e abraçar os meus irmãos na eterna sifónia da Cidade de Deus que abraça os seus filhos. A luz brilha novamente, e a revolução dos poetas não será parada pelos medos daqueles que vivem na eterna escuridão.

"Eis o meu servo, a quem escolhi, o meu amado, em quem tenho prazer. Porei sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará justiça às nações." (Mateus 12,18)

"E nos revelou o mistério da sua vontade, de acordo com o seu bom propósito que ele estabeleceu em Cristo, isto é, de fazer convergir em Cristo todas as coisas, celestiais ou terrenas, na dispensação da plenitude dos tempos." (Efésios 1,9-10)

"Pois foi do agrado de Deus que nele habitasse toda a plenitude e por meio dele reconciliasse consigo todas as coisas, tanto as que estão na terra quanto as que estão nos céus, estabelecendo a paz pelo seu sangue derramado na cruz." (Colossenses 1,19-20)




0 comentários: