Reaprendendo a amar a Deus


Se você não está mais tão perto de Deus como antes, então está na hora de voltar-se para Ele.


A Bíblia fala do declínio aparentemente do amor, o apóstolo João escreve esta idéia no livro de Apocalipse no fim do primeiro século da Cristandade. Ele estava preocupado por eles terem perdido o seu "primeiro amor" (Apocalipse 2:4). Existe uma percepção de que eles perderam o seu antigo desejo de obedecer ao seu chamado para segui-Lo.

Aparentemente, as tempestades reais da vida tinham feito suas vítimas ao longo dos anos. A maioria dos apóstolos originais já tinha morrido, alguns amigos queridos tinham abandonado a fé, o imperador romano Domiciano estava perseguindo-os e Jesus não tinha retornado. Naturalmente, seu zelo e entusiasmo foram afetados.

Eles tinham incorrido no erro comum de basear as ações de suas vidas cristãs em eventos externos, em vez de focar sua caminhada em um relacionamento íntimo com Deus.

A palavra de Deus não é simplesmente uma mensagem em uma garrafa que chegou ao nosso litoral do século 21. Pois, as Escrituras Sagradas são um desafio em qualquer época para os seus discípulos de Cristo, guiados pelo Espírito, que desejam manter viva aquela centelha do primeiro amor.

Talvez agora você se sinta muito sozinho e quer saber por que sua caminhada cristã, aparentemente, chegou a um impasse. Talvez você se sinta vazio. Não desanime ainda, Cristo sabe exatamente onde estamos nessa jornada. Cristo não nos deixa lamentando. Apocalipse 2:1 nos lembra de que Ele "tem na Sua destra as sete estrelas" e que "anda no meio dos sete candeeiros de ouro" — referindo-se, simbolicamente, a Sua presença e cuidado com Sua Igreja.

Jesus afirmou: “E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia” (João 6:39).

Jesus sabe exatamente onde estamos e qual nossa condição espiritual. O Senhor nos ajudará a crescer para que tenhamos uma perfeita comunhão com o Pai — não baseada apenas em sentimentos, mas em uma fé inabalável através da obra do Espírito Santo.

O QUE É O "PRIMEIRO AMOR"?


Consideramos por um instante o que é o primeiro amor. É um sentimento transformador do nosso ser e um anseio real das nossas mentes que tem o seu início na obra regeneradora do Espírito Santo.
O primeiro amor se pode definir como uma experiência apaixonada ao perceber o amor de Deus. E, ao mesmo tempo, é uma resposta de ação de graças pelo que Cristo fez por nós na Cruz, já que nunca seríamos merecedores e, com certeza, não houvéssemos sido capazes de obter isso por nossos próprios méritos humanos.

É também o entendimento de que precisamos de Deus e a necessidade de segui-Lo aonde Ele quiser nos levar — e permanecer comprometido com isso.

Além disso, significa a alegria em compreender a plenitude do evangelho da graça — que Deus enviou o Seu Filho Unigênito para resgatar-nos do pecado e da morte através da Sua morte na Cruz. Sua ressurreição é a plena esperança da vida eterna, a segunda volta de Cristo (Mateus 24: 21-22) e a realização do Reino de Deus aqui na Terra (Isaías 2:1-4).

O primeiro amor significa ter fé em Deus além da razão, mas sem ser irracional, porque é a convicção e certeza de que Ele vai cumprir Seus propósitos (Isaías 46:10). Portanto, é uma sensação de bem-estar ao saber que Ele é nosso Pastor em quem podemos confiar (Salmos 23:1).

TRÊS PASSOS PARA RESTAURAR O PRIMEIRO AMOR


Se desejamos restaurar o nosso primeiro amor, existem três passos que são ensinados na exortação de Apocalipse 2:5:

1. Lembra-te, pois, donde caíste,
2. Arrepende-te, e
3. Pratica as primeiras obras.

1. LEMBRA-TE


Um dos piores hábitos humanos é o esquecimento. Todos nós fazemos isso. Podemos facilmente ficar presos em nossa própria bolha solitária de autocomiseração, lamentando: “A situação não poderia estar pior e, além disso, me sinto tão sozinho.”

Em Hebreus 10:32, lemos, “Lembrai-vos, porém, dos dias passados, em que, depois de serdes iluminados...”

Existe um ensino essencial de lembrar-nos para ser capazes de ser guiados pelos caminhos do Senhor. Em outras palavras, Deus nos está dizendo: “Pare um momento e volte no tempo, pense bem! Lembre-se de onde começamos juntos. Lembre-se de quando a vida parecia sem propósito. E, então, Eu te chamei a seguir-me e vocês nasceu de novo atrav[es da ação do Espírito. Eu disse que seria o seu Deus, e que você seria Meu filho (Apocalipse 21:7). Eu disse que nunca iria deixá-lo nem o ia desamparar (Hebreus 13: 5). Eu ainda estou aqui. Estou esperando. E sempre estarei. Lembre-se que Eu te amo!”

2. ARREPENDE-TE


Isso significa mudança de verdade, não somente um sentimento de tristeza. Arrependimento significa um giro de 180 graus e seguir na direção oposta de nossa natureza pecadora, corrupta e cobiçosa. Mais uma vez, "lembra-te" onde e quando o Senhor te chamou e quão pronto você estava de se arrepender incondicionalmente.

Isso foi mais do que transformar o nosso ser de dentro para fora. Isso o tornava uma nova criatura em Cristo (2 Coríntios 5:17). Mas com o passar da vida, talvez tenhamos chegado a um “status quo espiritual”, pensando que já dominamos todo o assunto — apenas fazendo o mínimo, não guardando os ensinos de Cristo, nem seguindo os caminhos de Deus.

Os cristãos passamos por várias etapas de amadurecimento, inclusive de desânimo e tem pessoas que passam por etapas de rebeldia. Cada etapa tem uma razão e um propósito de nos ajudar a compreender o grande amor de Deus e a misericórdia que Ele tem por nós. O Espírito Santo ainda está trabalhando em áreas das nossas vidas que estão em oposição aos próprios ensinos de Jesus Cristo. Portanto, temos que estar sempre prontos para arrepender-nos e confessar aquilo que desagrada a Deus.

Caso seu amor por Deus tenha diminuído, saiba que o mesmo não ocorre com o amor de Deus quanto a você. Hoje mesmo, peça-Lhe com sinceridade: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito estável [comprometido]... Restitui-me a alegria da Tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário” (Salmos 51:10, 12).

Deus está esperando para renovar suas forças e te orientar a cada passo pelos caminhos do Senhor através do poder do Espírito Santo.

3. PRATIQUE AS PRIMEIRAS OBRAS


A conclusão é que o amor não é um sentimento. Em vez disso, é um ato voluntário que praticamos para com Deus e com o próximo. Por natureza, o amor de Deus em nós é incondicional, imparcial e sem interesse mesquinho. Que “não busca os seus próprios interesses” (1 Coríntios 13:5). Por esse tipo de amor nós somos abençoados, somos transformados para sempre.

Os caminhos de Deus não são teorias, mas sim um estilo de vida único. Um antigo provérbio asiático afirma o seguinte: “O que eu ouço, eu esqueço. O que eu vejo, eu lembro. O que eu faço, eu entendo.” As Escrituras nos ensinam o mesmo principio em Tiago 1:22, “E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes...”

A vida é viva e orgânica. Cristo sabia muito bem que a estrada de boas intenções seria permeada de sentimentos quando nos chamou para seguir a Jesus. Portanto, tome um tempo para responder estas perguntas para você mesmo, e refletir nas coisas de Deus.

O que você está aprendendo de sua relação de amor com Deus? Você se sente temeroso, desorientado ou confuso?

Que Deus renove seu primeiro amor, e fortaleça sua caminhada com Seu Eterno Amor por ti.


Publicado original no site, Reformai.


0 comentários: