Do fracasso da Cruz ao sucesso do Facebook


Estes dias estive nos USA. Percebi que este país estava esperando a visita do Bispo de Roma, mais conhecido como o Papa. Eu não tomei muita atenção para seguir a visita do Papa Francisco a Cuba e, depois, os USA. Contudo, uma vez de volta ao Brasil, teve tempo para escutar os comentários que li e me falaram o que o Papa tinha falado durante sua visita aos USA.

Uma das frases que provoco mais escândalo entre os círculos evangélicos brasileiros, foi "o fracasso da Cruz." Um dos sites evangélicos afirmou no seu titular, Papa afirma que morte de Jesus na cruz foi “fracasso”. Interessante é que isso fez que as redes sociais virassem cheias de comentários sobre tal afirmação do Papa Francisco. Contudo ninguém tomou o tempo para ler o que realmente o Papa Francisco falou.

Faz uns anos, antes de mudar-me para o Brasil, eu usei uma frase semelhante. Assim que, decidi ler o texto da Homilia do Bispo de Roma antes de expressar minha opinião. O que realmente diz Francisco no seu sermão?

4 comentários:

O culto reformado


"Entrai por suas portas com ações de graças e nos seus átrios, com hinos de louvor; rendei-lhe graças e bendizei-lhe o nome" (Salmos 100:4)

O estilo de adoração

Uma das coisas mais impressionantes da igreja primitiva era o seu ardente desejo de estar unida em celebrações. Não raras vezes vemos, no livro de Atos dos Apóstolos, todos os irmãos, unânimes no templo, ou mesmo de casa em casa, partilhando a maravilhosa graça de Deus em momentos de oração e louvor.

Os Anglicanos, como reformados, queremos também experimentar deste privilégio que Deus nos dá de podermos celebrar a vida em Seu Nome e como família de Deus e povo eleito. A adoração é o coração da igreja cristã. No culto cristão, nos unimos a outros para reconhecer a santidade de Deus, ouvir a sua palavra, oferecer as orações e louvores, e para celebrar os sacramentos.

O culto cristão tem suas raízes na adoração praticada no Templo e nas Sinagogas, combinada com as celebrações dos cristãos primitivos. Através do culto nos unimos na adoração eterna a Deus, entrando no trono da graça e nos lugares celestes, como também participamos na adoração histórica através dos séculos.

7 comentários:

As Doutrinas da Graça


São muitas as ocasiões em que me perguntam se a Igreja Anglicana é uma igreja reformada. Existe muito desconhecimento sobre as doutrinas e ensinos da Tradição Anglicana. Isto é devido, sobretudo, a que o Anglicanismo foi abandonando os seus Artigos de Fé no decorrer século XX e somente ao final deste mesmo século começou um ressurgir da importância da confessionalidade nas igrejas anglicanas e, portanto, se voltou a falar dos 39 Artigos da Religião. Isto não foi um fato isolado no Anglicanismo, contudo teve uma matiz mais pronunciada nas igrejas anglicanas.


A transição dos séculos XX e XXI esteve acompanhada com um despertar das Doutrinas da Graça entre as novas gerações de jovens cristãos. As Doutrinas da Graça são aquelas doutrinas que popularmente são reconhecidas como a base da Soteriologia, isto é, as doutrinas da salvação do Calvinismo. Tais ensinos bíblicos tratam a questão da natureza do homem e a Eleição de Deus, de homens e mulheres, através de Cristo. As Doutrinas da Graça tem sido um tópico fortemente controvertido nos círculos acadêmicos, nas igrejas evangélicas e nos seminários teológicos. Este debate tem estado vivo e presente nas igrejas evangélicas nos últimos 500 anos, ainda que as Doutrinas da Graça remontem aos primeiros séculos da Cristandade.

0 comentários: