Do fracasso da Cruz ao sucesso do Facebook


Estes dias estive nos USA. Percebi que este país estava esperando a visita do Bispo de Roma, mais conhecido como o Papa. Eu não tomei muita atenção para seguir a visita do Papa Francisco a Cuba e, depois, os USA. Contudo, uma vez de volta ao Brasil, teve tempo para escutar os comentários que li e me falaram o que o Papa tinha falado durante sua visita aos USA.

Uma das frases que provoco mais escândalo entre os círculos evangélicos brasileiros, foi "o fracasso da Cruz." Um dos sites evangélicos afirmou no seu titular, Papa afirma que morte de Jesus na cruz foi “fracasso”. Interessante é que isso fez que as redes sociais virassem cheias de comentários sobre tal afirmação do Papa Francisco. Contudo ninguém tomou o tempo para ler o que realmente o Papa Francisco falou.

Faz uns anos, antes de mudar-me para o Brasil, eu usei uma frase semelhante. Assim que, decidi ler o texto da Homilia do Bispo de Roma antes de expressar minha opinião. O que realmente diz Francisco no seu sermão?

Encontre uma tradução da Homilia, aqui. O texto que fala do fracasso da Cruz, se encontra neste contexto:
Podemos ficar encastrados quando medimos o valor dos nossos esforços apostólicos pelo critério da eficiência, do funcionamento e do sucesso externo que governa o mundo dos negócios. Não digo que estas coisas não sejam importantes! Foi-nos confiada uma grande responsabilidade e o povo de Deus, justamente, espera resultados. Mas o verdadeiro valor do nosso apostolado é medido pelo valor que o mesmo tem aos olhos de Deus. Ver e avaliar as coisas a partir da perspectiva de Deus chama-nos para uma conversão constante ao primeiro tempo da nossa vocação e – nem é preciso dizê-lo – a uma grande humildade. A cruz mostra-nos uma maneira diferente de medir o sucesso: a nós cabe-nos semear, e Deus vê os frutos do nosso trabalho. E se, às vezes, os nossos esforços e o nosso trabalho parecem gorar-se e não dar fruto, estamos a trilhar a mesma via de Jesus Cristo; a sua vida, humanamente falando, acabou com um fracasso: o fracasso da cruz. (Ênfases meu)
Uma vez que li cuidadosamente este texto, percebi como as pessoas não tinham lido ou, ainda pior, entendido o que o Papa Francisco estava falando. Será que ninguém percebeu duas palavras importantíssimas "humanamente falando"?

Verdadeiramente, humanamente falando, a vida de Jesus acabou com um fracasso, o fracasso da cruz; porque, humanamente falando, uma vida é considerada um sucesso quando a pessoa termina bem sucedida, com muito dinheiro, uma carreira bem sucedida, uma casa linda, e um carro que é a inveja do mundo. O mundo espera resultados, números e grandes sucessos. Ainda lembro a cara de desilusão quando me perguntam quantos membros tem minha igreja e escutam minha resposta, e como eles mudam quando falo que já foi bispo sobre 1,300 igrejas em mais de 30 países.

Exatamente, este é o ponto do mensagem do Papa Francisco. Precisamos mudar os nossos caminhos e pensamentos do mundo para abraçar o mensagem da cruz. Aquele fracasso que virou o maior sucesso no terceiro dia.

O uso de imagens e termos provocativos para enfatizar o mensagem, é uma forma própria das Escrituras. Isaías e Paulo já fizeram uso delas:
Era desprezado, era a escória da humanidade, homem das dores, experimentado nos sofrimentos; como aqueles, diante dos quais se cobre o rosto, era amaldiçoado e não fazíamos caso dele.” Is 53:3
“Já que o mundo, com a sua sabedoria, não reconheceu a Deus na sabedoria divina, aprouve a Deus salvar os que creem pela loucura de sua mensagem. Os judeus pedem milagres, os gregos reclamam a sabedoria; mas nós pregamos Cristo crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os pagãos." I Cor 1, 21-23
Acaso Isaías chamou a Cristo de “escória da humanidade”? Claro que não! Ele estava dizendo que, com sua visão limitada, as pessoas O veriam assim. Acaso Paulo afirmou a mensagem de Deus é uma “loucura”? Óbvio que não! Ele quis dizer que tal mensagem é loucura somente do ponto de vista humano.

Neste ponto particular, concordo com o Bispo de Roma que, humanamente falando, a cruz foi um fracasso. E, humanamente falando, minha vida é um fracasso. Contudo, graças sejam dadas a Deus quem me libertou da escravidão da morte e do pecado, e minha vida não faz sentido, humanamente falando, mas em Cristo Jesus. Da mesma forma, o bispo de Roma não disse que a cruz de Cristo é um fracasso. Ele diz, “HUMANAMENTE FALANDO”. Ou seja, a morte na cruz é um fracasso sob o olhar dos homens, não de Deus.

Fico preocupado, por outro lado, e muito, como a pós-modernidade tem causado uma geração que não lê ou, pior ainda, não entende o que lê. Este seria o sucesso da era das redes sociais. Não criamos ideias, emprestamos ideias e fazemos delas as nossas opiniões.

Me preocupa a ideia de que as pessoas não leiam ou não entendam, porque se isto é assim, como poderão ler e entender o que as Escrituras Sagradas nos ensinam.

Se as pessoas houvessem tomado uns minutos somente para ler o contexto em que o Bispo de Roma tinha usado tal expressão, talvez as pessoas poderiam aprender um pouco da humildade que o Papa chamou aos líderes católicos-romanos a seguir, em vez de buscar esse evangelho da prosperidade que é tão forte e constante entre o povo de Deus.

O dia tem 24 horas, e usamos a maioria desse tempo para perder-lo em coisas supérfluas, enquanto temos desinteresses na comunhão com Deus. Viramos consumidores do mercado religioso, em vez de discípulos no dia a dia. Talvez, precisamos acordar deste sonho da felicidade instantânea, e abraçar a vida plena, como ela é na verdade. Assim, aprendemos com Jesus, e seguimos seus passos a cada instante.

Nem sempre concordo com os católicos-romanos, existem muitos motivos e bem diversos pelos quais saí da Igreja de Roma para nunca mais voltar, contudo isto não faz que seja tão cego para usar qualquer motivo contra esta comunidade eclesiástica.

Que Deus nos dê sabedoria neste tempo de confusão. A Deus seja toda a glória, agora e para sempre. Amém.

+

4 comentários:

  1. Acho que o site só quis deflagar a imagem do Papa. Muito injusto para um site de notícias que se diz cristã.

    ResponderExcluir
  2. Como a falta de duas palavras muda todo sentido! Humanamente falando, alguém foi humanamente tendencioso ao deixar de usar as duas palavras "humanamente falando".

    ResponderExcluir
  3. Excelente texto, Bispo! Muito esclarecedor!

    ResponderExcluir
  4. As pessoas querem apenas repetir opiniões formadas, afinal pensar é estafante. Defendem idéias que não criaram, e pior, não tem noção do elas significam.

    ResponderExcluir