“Fazei isto em memória de mim...”


No Domingo de Ressurreição, Jesus Cristo se fez conhecido aos seus discípulos quando partiu o pão (veja Lucas 24.30-31). Assim, acontece de maneira similar nos dias de hoje, mas espiritualmente, quando participamos da Ceia do Senhor. Sendo um mistério no qual os cristãos tem as mais diversas opiniões a respeito, os cristãos acreditamos que temos um encontro com a presença, graça e poder de Jesus Cristo em uma forma única, quando compartilhamos do Corpo e do Sangue de Cristo juntos em comunhão. O pão e o vinho se fazem um alimento espiritual para nossas almas e nos fortalecem na caminhada cristã pela fé.

Ao mesmo tempo, o povo de Deus renova a nova aliança com o Deus todo-poderoso. Este sacramento nos lembra de que apesar dos nossos pecados, Deus nos elegeu a ser parte do seu povo, a Igreja, sendo justificados pela graça mediante a fé, porque Jesus entregou seu corpo e derramou seu sangue por nós e nossos pecados. Lembramos sua morte, celebramos sua ressurreição e ascensão, e esperamos sua volta. Fazendo isso damos graças pelos benefícios do seu sacrifício, e participando da Ceia do Senhor, fortalecemos nossa união com Cristo e Sua Igreja, porque recebemos o perdão dos pecados e somos nutridos para vida eterna. O novo pacto de Deus com a Igreja se reafirma, uma vez mais.

A Ceia do Senhor tem outros nomes?

Sim, tem sim. Cada um deles expressa um aspecto diferente. A Santa Comunhão enfatiza o que temos em comum. Na Ceia do Senhor, estamos juntos, não somente na fé que compartilhamos e temos em comum, mas também a necessidade que todos temos da verdade e graça de Cristo nas nossas vidas.

Eucaristia vem do grego, “ação de graças.” A Ceia do Senhor é chamada de Eucaristia, porque o povo de Deus faz um sacrifício de louvor e ação de graças (veja Rom 12.1-2). O uso do termo Eucaristia é compartilhado com outras tradições e igrejas cristãs; portanto, nos lembra que o sacramento nos une com a igreja invisível neste ato de ação de graças e celebração da diversidade na Igreja ao redor do mundo.

Quem pode participar da Ceia do Senhor?

Historicamente, somente os membros confirmados poderiam participar da Ceia do Senhor. Contudo, isto tem sido mudado nos últimos anos. A Igreja de Inglaterra aprovou uma regulação em 2006 para permitir que as crianças batizadas, como todo cristão batizado, possam participar da Ceia do Senhor. A decisão está em mãos de cada paróquia, conjuntamente com seu bispo. Este mesmo processo tem acontecido nas mais diversas igrejas anglicanas ao redor do mundo.

Como a Igreja Anglicana celebra a Ceia do Senhor?

A Igreja Anglicana celebra a Ceia do Senhor através da ordem de culto que se encontra no Livro de Oração Comum. Desta maneira, continua a prática do Cristianismo primitivo. Este culto litúrgico está dividido em duas partes: o ministério da Palavra de Deus e o ministério do Sacramento.

No ministério da palavra, entramos na presença de Deus pedindo perdão pelos pecados e recebendo o perdão de Deus, depois de ouvir os Mandamentos de Deus; vai seguido da leitura de porções de Escrituras e um sermão. A congregação responde afirmando sua fé usando as palavras do Credo, seguido de orações.

O ministério do sacramento está centrado nas palavras e ações de Jesus na última ceia, quando ele tomou o pão e o vinho, deu graça por eles, partiu o pão e compartilhou o pão e o vinho com seus discípulos. Na ceia do Senhor, estas mesmas palavras e ações são repetidas em resposta ao mandamento de Jesus: “Fazei isto em memória de mim...”

Com qual frequência se celebra a Ceia do Senhor?

O Livro de Oração Comum sujeita a Igreja a celebrar a Ceia do Senhor três vezes ao ano, sempre e quando esteja presente um presbítero ou bispo. Historicamente, as paróquias anglicanas tem celebrado a Ceia do Senhor uma vez por mês, contudo existes outras paróquias que esta ocorre semanalmente.

Como os Anglicanos entendem a presença de Cristo na Ceia do Senhor?

A Igreja Anglicana ensina que o sacramento tem duas partes: um sinal visível e exterior e uma graça espiritual e interior. O sinal visível e exterior na Ceia do Senhor é o pão e o vinho. A graça espiritual e interna é o corpo e o sangue de Cristo recebida na fé, que é a vida de Cristo ressurreto.

A Igreja Anglicana ensina que não há mudança nas propriedades físicas do pão e do vinho. No entanto, há uma mudança no significado que eles tem para o cristão. Através deles, a vida do Cristo ressurreto e glorificado é comunicado e recebido pela fé. Deste modo, depois de consagrados, são considerados o sacramento do corpo e do sangue de Cristo, estando presente espiritualmente o próprio Cristo, que o povo de Deus encontra na celebração da Ceia do Senhor através da pregação da palavra, na santa comunhão, no coração do cristão e, de uma forma sacramental, através dos dons do seu corpo e sangue, dados já na cruz pela nossa salvação.

Também, lemos esta confessional definição nos 39 Artigos, “A CEIA DO SENHOR não é só um sinal do mútuo amor que os cristãos devem ter uns para com os outros; mas antes é um Sacramento da nossa Redenção pela morte de Cristo, de sorte que para os que devida e dignamente, e com fé o recebem, o Pão que partimos é uma participação do Corpo de Cristo; e de igual modo o Cálice da Bênção é uma participação do Sangue de Cristo. A transubstanciação (ou mudança da substância do Pão e do Vinho) na Ceia do Senhor, não se pode provar pelas Escrituras Sagradas; mas antes repugna as palavras terminantes das Escrituras, subverte a natureza de Sacramento e tem dado ocasião a muitas superstições. O Corpo de Cristo é dado, tomado e comido na Ceia, somente de um modo celeste e espiritual. E o meio pelo qual Corpo de Cristo é recebido e comido na Ceia é a Fé. O Sacramento da Ceia do Senhor não foi pela ordenança de Cristo reservado, nem levado em procissão, nem elevado, nem adorado.”

A Igreja Anglicana ensina que a Ceia do Senhor é um sacrifício?

A Igreja Anglicana acredita que a Ceia do Senhor é um sacrifício de louvor e ação de graças a Deus no qual lembramos o sacrifício de Cristo, feito uma vez por todos, na cruz, e recebemos os benefícios deste sacrifício. Em resposta, mostramos nosso agradecimento oferecendo nossas almas e corpos para ser um sacrifício vivo. (Romanos 12:1)

A Igreja Anglicana tem uma Mesa do Senhor aberta?

Os membros comungantes de outras igrejas cristãs podem receber a Santa Comunhão nas igrejas anglicanas.


2 comentários:

  1. Mas Bispo esta ceia é a mesma destinada ao Deus Mitra dos Romanos ? Pois pelo que está escrito nas Biblias menos adulteradas o Salvador manda partilhar o pão = alimento espiritual e o vinho ou seja a sua descendência espiritual e não comer a sua carne e seu sangue como o de Mitra.A moral é dividir o Pão que veio do Céu. Paz

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado pela sua opinião, e volte sempre para dar sua opinião.

    Se me permite, recomendou a leitura do artigo novamente.

    Eu deixou o artigo sobre a Ceia do Senhor para sua consideração e reflexão:

    "A CEIA DO SENHOR não é só um sinal do mútuo amor que os cristãos devem ter uns para com os outros; mas antes é um Sacramento da nossa Redenção pela morte de Cristo, de sorte que para os que devida e dignamente, e com fé o recebem, o Pão que partimos é uma participação do Corpo de Cristo; e de igual modo o Cálice da Bênção é uma participação do Sangue de Cristo. A transubstanciação (ou mudança da substância do Pão e do Vinho) na Ceia do Senhor, não se pode provar pelas Escrituras Sagradas; mas antes repugna as palavras terminantes das Escrituras, subverte a natureza de Sacramento e tem dado ocasião a muitas superstições. O Corpo de Cristo é dado, tomado e comido na Ceia, somente de um modo celeste e espiritual. E o meio pelo qual Corpo de Cristo é recebido e comido na Ceia é a Fé. O Sacramento da Ceia do Senhor não foi pela ordenança de Cristo reservado, nem levado em procissão, nem elevado, nem adorado."

    Novamente, muito obrigado pelo seu comentário.

    Fique com Deus.

    ResponderExcluir