Os Anglicanos se parecem aos Católicos, ou os Católicos se parecem aos Anglicanos


Muitas vezes escuto das outras igrejas evangélicas, comentários dando a entender que os Anglicanos podemos ser católicos-romanos disfarçados, ou como se fala mais agora, "precisamos sair do armário." Esta ideia, inclusive, toma força quando os jornais e a TV fala sobre os Anglicanos que se convertem ao Romanismo. Ainda que, uma minoria, eles conseguem aparecer com grande facilidade nos jornais. Por outro lado, neguem escuta dos milhares de católicos-romanos que são recebidos nas igrejas anglicanas cada ano.

Hoje, recebi no Facebook a foto que você podem ver ao início deste artigo. Esta foto mostra o bispo de Roma, Paulo VI, com a delegação de ministros anglicanos e luteranos que ajudaram a refletir sobre a reforma liturgia que aconteceria no Concílio Vaticano II.

Se observamos a foto, podemos ver que somente os ministros protestantes usam camisa clerical, já que Roma só permitiu o uso da mesma depois do Concílio Vaticano II. Deste modo, observamos como esta prenda de vestir de origem presbiteriano (Igreja de Escócia) terminou sendo usada pelos católicos-romanos pela influencia dos Anglicanos e os Luteranos.

Ao mesmo tempo, a Igreja de Inglaterra já afirmou a importância de que o culto fosse em língua do povo no século 16. Isto também seria adotado por Roma no Concílio Vaticano II, em meio dos protestos dos católicos-romanos tradicionalistas.

O Missal Romano que foi desenvolvido a partir do Concílio Vaticano II, recebe uma forte influência do Livro de Oração Comum de Cranmer e o culto luterano de Martinho Lutero. Interessante, descobrir que os católicos tradicionalistas chamam a liturgia surgida a partir do Vaticano II de "missa protestante."

Os dois teólogos mais mencionados no Vaticano II, foram São Augustinho e o Cardinal Newman (um anglicano que se converteu a Roma no século 19). Infelizmente, está influencia não levou a uma maior reforma teológica e de prática que Roma está precisando ainda hoje.

Hoje em dia, o curso Alpha, de origem anglicano, está sendo usado por muitas dioceses católicas-romanas em todo o mundo, inclusive no Brasil. Este é um curso que tem dado uma nova ferramenta de evangelização a Igreja nos últimos 20 anos, dando um grande sucesso aqueles que tem seguido a metodologia de forma correta.

Deste modo, hoje ficou com a dúvida, será que os Anglicanos nos parecemos aos Católicos-romanos? Ou será que os católicos-romanos se parecem aos Anglicanos?

Quando pensamos sobre o culto anglicanos e a missa romana, pode parecer certa semelhante, como também pode parecer certa semelhança entre os sistema político dos Estados Unidos e o sistema político do Brasil, mas a coisa fica ai na semelhança. Na prática e na doutrina, encontramos as grandes divergências.

Com certeza, os Anglicanos também temos aprendido coisas positivas com os católicos-romanos. Contudo, isto não significa que a Igreja Anglicana e a Igreja de Roma sejam a mesma coisa, ou sejamos semelhantes. Simplesmente, mostra o fato de que muitas igrejas cristãs compartem elementos comuns e, ao mesmo tempo, divergentes.

Talvez, encontre Anglicanos que sejam realmente católicos romanos disfarçados em meio do caos religioso atual no Brasil, como também poderá encontrar católicos romanos que sejam verdadeiramente "anglicanos disfarçados." Contudo, isto não é a norma, mas é fruto da incoerência humana e o desejo de ser o que não se é na realidade. Assim, surgem pessoas e grupos chamando-se de Anglicanos, quando, realmente, não passam de ser católicos independentes.

A Igreja Anglicana é uma igreja reformada, protestante e evangélica, que não deixa de ser católica, histórica e antiga.

Somente a Deus seja dada toda a glória.


5 comentários:

  1. Nós protestantes temos que aprender que imitar o que é bom não é ruim.Mas gostei do artigo,certamente é que os católicos romanos que imitam os anglicanos.

    ResponderExcluir
  2. Concordo 100% com o que você diz, "Nós protestantes temos que aprender que imitar o que é bom não é ruim."

    ResponderExcluir
  3. Bem reflexível este artigo, nos faz perceber que sempre seremos parecidos, porém temos nosso ethos que nos faz ter uma identidade própria e que diz quem somos.

    Rev. RONALDO F. Pinto

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pelo seu comentário, Rev. Pinto. Voltei sempre e compartilhe suas opiniões. Um abraço.

    ResponderExcluir