A realidade dos anglicanos no Censo 2010


Faz uma semana leia interessado os resultados do Censo 2010. As novidades eram que os evangélicos tinham crescido consideravelmente e uma perda importante de católicos romanos.

Fiquei curioso de saber qual seria o número de anglicanos no Brasil, afinal de contas tem surgido diversas igrejas que se chamam "anglicanas." Também, temos observado um forte crescimento da Diocese de Recife no últimos anos e, o surgimento a finais de 2009 da Igreja Anglicana Reformada com o seu crescimento divagado, mais constante, a Igreja Anglicana Reformada tem marcado uma pequena presença.

Abri o relatório do Censo, então repare da minha primeira decepção. Nenhuma igreja anglicana tinha conseguido aparecer, nem os anglicanos como um bloco.

Serio??? Sim, serio.

Nenhuma igreja anglicana aparece pelo nome ou o termo geral de "anglicano" ou "episcopal." Fique sem palavras, como uma igreja que foi a primeira igreja não católica romana tem chegado no Brasil, hoje, nem aparecemos no Censo?

A IEAB que é a igreja episcopal anglicana com mais de 120 anos de história, não aparece. Contudo, sabemos que eles foram apoiados fortemente pela Igreja Episcopal dos Estados Unidos. Portanto, não foi por causa de recursos financeiros que não cresceram.

Isto tem feito que tenha pensando sobre os diversos motivos pelos quais o Anglicanismo não tem crescido aqui no Brasil. Depois de vários dias, tenho chegado a conclusão que isto tem sido causado pela:
  1. Presença da Teologia de Libertação (veja aqui) entre os anglicanos que tem causado uma igreja política, onde as lutas sociais são mais importante que a pregação do evangelho.
  2. .
  3. Influência da Teologia Liberal (veja aqui) e Neo-ortodoxia (veja aqui) entre os anglicanos tem destruído a autoridade da Bíblia na Igreja, sendo os valores humanistas mais importantes que a transformação das pessoa pelo poder do Espírito Santo.
  4. .
  5. Traição a Reforma Inglesa abraçando os ethos anglo-católicos (veja aqui), preocupando-se das coisas supérfluas e voltando a práticas contrárias as Escrituras, em vez de investindo na missão de Deus. 
As congregações locais que tem sido fieis na pregação do evangelho, o discipulado e na missão de Deus, tem visto um crescimento considerável nelas. Aquelas que se preocupam de questões temporais e secundarias não tem crescido e, em muitos casos, tem decrescido consideravelmente. Não em vão, hoje, encontramos templos anglicanas lindos pelo Brasil todo, onde encontramos os mesmos vazios durante o culto.

Igreja Anglicana Reformada tem crescido, pouco a pouco, sem apoio financeiro, com quase nenhum recurso, mas confiantes em um grande Deus que tem aberto muitas portas. Portanto, temos a certeza de que é possível crescer, sim, e crescer de forma saudável.

Talvez, seja hora de deixar para atrás a obsessões de alguns em títulos, vestes, ordenações e conhecimento. Agora, devemos buscar a Deus, arrepender-nos dos nossos pecados, ofensas e erros, e acreditar nas promessas de Deus.

O Censo 2010 tem sido uma chamada a despertar para a Igreja Anglicana no Brasil, se não somos luz e sal, então podemos ter certeza de que Deus vai esquecer de nós.

Nem tudo esta perdido ainda, temos visto o testemunho de muitos irmãos corajosos, juntamente com o milagre do nascimento e crescimento, ainda tímido, da Igreja Anglicana Reformada, temos a convicção de de que Deus nos tem levantado para ser testemunhos do Cristo Ressurreto, hoje e aqui.

Por esta razão, acredito que a Igreja Anglicana Reformada precisa voltar a lembrar que existimos somente para plantar novas igrejas saudáveis, fazer verdadeiros discípulos e formar uma nova geração de líderes, e só por isso.

Não existe lugar entre nós para aqueles que desejam ordenações expresso, discussões sobre ordenações femininas ou teologia sem vida, nem verdade, ou desejo de protagonista que levam a rebeldia. Nem temos tempo para as fofocas do dia, nem para perder nossa vida falando do sexo dos anjos. Isto são coisas do passado. Hoje, precisamos ser a Igreja de Cristo na Terra.  

Talvez, não estamos ainda no Censo 2010, contudo seguiremos sendo fieis discípulos de Cristo, obedecendo todo o que Jesus ensino e pregando o evangelho do Reino.

Somente a Deus seja toda a glória. Amém.

+

2 comentários:

  1. Muito bom, bispo. Parabéns pela postagem.

    ResponderExcluir
  2. Bispo, talvez muito mais que listar uma pesquisa - cujo resultado ilustra que o crescimento do rebanho evangélico deu-se por fatores migratórios e pela necessidade de os indivíduos encontrarem uma identificação social oriunda de suas comunidades originas (e não por manipulação de massa, como querem alguns organismos midiáticos)- a igreja anglicana reformada deve focar seus esforços na consolidação de uma comunidade identificada com seus ideais, que são os mesmos ideais de Cristo. Assim como os demais grupos Reformados devemos nos preocupar integralmente com essa identidade, algo que foi perdido com a avalanche das igrejas neopentecostais e a teologia da prosperidade, aliada (assim penso) com eventos socioeconômicos que colaboram com a inflação de membros nas igrejas, membros estes destituídos de um entendimento e de uma vontade em se submeter ao jugo doce do mestre.

    ResponderExcluir