O Senhorio de Cristo na pregação


Se existe uma questão que devemos refletir nos dias de hoje, deve ser os métodos e apresentação que fazemos do evangelho. Se observamos atentamente, muitas “criaturas estranhas” tem surgido no nosso meio apresentando-se como “evangelistas,” ou “pastores,” com métodos tão inovadores que terminamos por esquecer o que é o evangelho. Nem todo se pode fazer para proclamar o evangelho de Jesus Cristo.

Temos que ser cuidadosos, se desejamos dar toda a glória a Deus. Recentemente, veia um vídeo de um rapaz todo empolgado falando, como ex-funkeiro, mas era somente um funkeiro atuando como crente. No vídeo, vi muito glória para o cantor, o ministério dele e os ajudantes. Também, vi muita emoção e pouco senso comum. Nem tudo o que se faz em nome de Jesus, era realmente traz honra a Deus.

Talvez, seja um bom momento de refletir sobre a simplicidade do evangelho. Já percebeu que Deus Pai faz Jesus, o Senhor de Senhores, o Senhor sobre toda a Terra. Parou a pensar que isso significa realmente? (Leia Efésios 1.20-22; Mateus 28:19; Atos 2:36).

Pregar o evangelho é muito mais que pregar o Senhorio de Jesus Cristo, o Rei. Na verdade, é viver n a realidade presente do Reino de Deus e sob a autoridade de Jesus Cristo. A partir deste fato, a Igreja prega o evangelho de Jesus Cristo, sendo este o evangelho do Reino.

O fato é que o Rei não precisa de nossa eloquência, nem emoções, nem conhecimento, nem show gospel. Ele não precisa de nada, contudo deseja nossa absoluta obediência. (Leia João 15:12-16)

Se isto é certo. Então, a questão é, “qual é a motivação de pregar o evangelho?” A resposta dá luz a situação.

Acredito que uma das motivações essenciais deve ser, sempre, o desejo de expandir e fazer visível o Reino de Deus. Por isso, evangelismo não pode separar-se de discipulado... e, por discipulado, estou falando muito mais que estudos bíblicos na escola dominical. Ainda que, isto está incluindo no pacote.

Em outras palavras, a pregação do evangelho está ligada a que tipo de servos seremos. Seremos lealdes e fiéis, mantendo os mandamentos e obedecendo os ensinos de Cristo, ou seremos rebeldes e opondo a sua vontade?

As vezes, estamos desejando fazer a coisa certa, mas as motivações são as erradas. Portanto, terminamos sendo parte do problema, ou o mesmo problema, e não parte da solução. Isto se observa claramente no evangelismo e os culto na igreja de hoje.

O melhor que podemos fazer, é pregar o evangelho puro e simples. Sem adicionar nada, sem aditivos, nem emoções, simplesmente o evangelho pregado através do Espírito Santo. Só assim, veremos verdadeiro arrependimento, confissão de pecados e fé que traz frutos de obediência.

Deste modo, a Igreja voltará a ser sal e luz da terra. Mas, primeiro, devemos de parar de acreditar que Deus precisa da nossa ajuda, porque Ele não precisa. Precisamos de ser rebeldes. Despois, vai sendo hora de ser obedientes, acreditar que Cristo reina e que Ele vai levantar SUA Igreja para pregar o evangelho pelo poder do Espírito Santo.

Agora, somente resta acreditar na salvação que temos em cristo e confiar nEle com todos nosso coração. Com esta firmeza e como afirmamos cada domingo ao final do culto, Ide ao mundo a servir e amar ao Senhor. Em nome de Cristo. Amém.


Um comentário: