O Natal pode acontecer todos os dias


Tenho recebido vários e-mailes que defendiam a ideia de que Natal seria todos os dias. Em certa maneira, não estão errados. A essência da celebração do Natal deve ser presente nas nossas vidas cada dia. Esta essência é simplesmente que Deus se faz homem para a salvação do mundo.

Contudo, acho que existe um pequeno,aliás, grande, erro neste pensamento: Se enfatiza a evangelização sobre o evento celebrado, o Natal. Acredito de todo coração que precisamos evangelizar todos os dias. Ao mesmo tempo, sei que a missão da Igreja não é só evangelizar. Ela é mais profunda. A Igreja está chamada a fazer discípulos de Cristo.

Celebrar o Natal, é caminhar e lembrar nossa história como povo de Deus. De onde viemos? Quem somos? Onde estamos indo como povo de Deus?

Acabamos de caminhar quatro domingos através da primeira vinda de Cristo e esperamos desejosos a segunda vinda de Cristo como Rei. Estas últimas semanas tem sido um tempo de reflexão da necessidade de estar prontos. Temos refletido sobre a importância de preparar o caminho do Senhor, como João o Batista faz na primeira vinda. Agora, estamos pronto para celebrar.

Assim, celebramos o evento maravilhoso do nascimento do nosso Salvador, Jesus. E uma celebração só é possível e verdadeira, se ela acontece com amigos e familiares.. As grandes celebrações tem comida, bebida, sorrisos, amor e tempo de compartilhar. Trocamos presentes, como um ato de lembrar o maior dos presentes, JESUS.

Ao mesmo tempo, somos parte da Igreja, a família de Deus. Ela é um reflexo da nossa própria humanidade. A Igreja é, simplesmente, como no´s somos. Santos, mas pecadores. Vitoriosos, mas temerosos. Somos juntos ,a Igreja, e os problemas da Igreja são os nossos próprios problemas refletidos na família de Deus.

Imperfeitos, como somos, estamos chamados a ser os agentes de transformação da comunidade. Por isso, enquanto celebramos o nascimento de Cristo, também estamos chamados a não esquecer dos que sofrem, dos esquecidos e dos que ninguém se preocupa mais.

Não sejamos como os fariseus que enquanto a mulher derramava o perfume nos pês de Jesus,  criticavam que o perfume não fosse vendido para dar aos pobres. Existem 364 dias para amar, cuidar e ajudar aqueles que mais sofrem, mas também temos um tempo para celebrar o Natal com os que amamos.

Desejo com total sinceridade que tenha este ano um Natal cheio de amor, paz e prosperidade.

~~~~~~~~~~

PD: quero animar a todos meus leitores a fazer uma doação a Visão Mundial e o seu trabalho a favor das crianças e os que sofrem. Podem visitar o site deles, aqui.

+

Um comentário:

  1. Ótima reflexão, bispo, principalmente sua conclusão:

    "Não sejamos como os fariseus que enquanto a mulher derramava o perfume nos pês de Jesus, criticavam que o perfume não fosse vendido para dar aos pobres. Existem 364 dias para amar, cuidar e ajudar aqueles que mais sofrem, mas também temos um tempo para celebrar o Natal com os que amamos."

    ResponderExcluir