Escuta, você quer ser pastor?


Neste artigo quero começar dizendo que muitos dos conselhos que estou escrevendo nesta série, seriam conselhos que houvesse adorado escutar de alguém. Outros, são conselhos que eu recebi e foram realmente tesouros na minha caminhada.

Quando pensamos na idéia de ser pastor, muitas pessoas pensam com a idéia de orador, pregador e comunicador. De fato, os jovens pensam em pastores como aquele ministério de estudo, leitura e pregação da palavra.

De fato, estou surpreso constantemente, como os pastores acham que sabem mais que os membros, pelo fato de serem pastores. Tem pastor que não aceita opinião de um leigo, simplesmente porque este é leigo.

Com certeza, tem muito cristão imaturo que deseja opinar, porém a cada dia temos mais membros de igrejas que tem melhor formação e conhecimento bíblico que os próprios pastores. Por que? Simplesmente, porque tem estudado sistematicamente em casa através de livros que estão ao alcance de todo mundo.

Os pastores parece, e em alguns casos tenho a certeza, que gostam da sua própria voz.

Em muitas igrejas, a formação dos pastores se concentram muito no estudo da palavra, entendimento das doutrinas, apologia cristã, pregação e formação em comunicação. Isto quer dizer que o culto está centrado ao redor da pregação. Isto significa comunicação.

Infelizmente, isto tem causado um problema sério hoje em dia. O pastor já não sabe mais escutar o que o povo diz. Precisamos aprender novamente a escutar o que as pessoas dizem. Discernir se realmente estavam falando alguma coisa que temos esquecido e, assim, começar a desenvolver relações pessoais que sejam o princípio de um aconselhamento real dos cristãos nas nossas igrejas.

Se não aprendemos a escutar, então estaremos respondendo perguntas que  ninguém está fazendo.

O maior desafio é que aprender a escutar, não é fácil para os pastores. Houvesse gostado mais de aprender a escutar quando ainda era jovem. Infelizmente, minha própria fraqueza fez com que isto não acontecera.

Quantas vezes temos a resposta pronta, inclusive quando ainda estamos ouvindo o que nos está sendo apresentado. De fato, às vezes escutar e orar podem ser mais importantes que a resposta que possamos dar.

Os que estamos casados, temos aprendido com nossas esposas que elas querem ser escutadas, e não querem necessariamente respostas. Quando foi a última vez que escutamos e aprendemos alguma coisa de nós mesmos?

Sabem, escutar requer aprendizado. De fato, acredito que escutar é uma das disciplinas cristãs mais esquecidas hoje. Estamos envolvidos em ativismo, ação, movimento...

As igrejas evangélicas tem esquecido o papel do diretor espiritual, como uma figura chave na formação e desenvolvimento dos cristãos de hoje.

Se desejamos aprender a escutar, então... precisamos... só... parar......... escutar... e ver o que está acontecendo.

Este ato é um reconhecimento da soberania de Deus. Confiamos o suficiente para simplesmente ir mais devagar. Deste modo, tomamos o tempo certo para escutar as nossas batidas de coração e a voz de Deus no meio do barulho. Isto é um ato de transformação que vai permitir escutar os nossos amigos e irmãos para ouvir o que estão comunicando além das suas próprias palavras. Precisamos silenciar nossos pensamentos, e permitir a Deus falar no meio da situação.

Afinal, os pastores não temos todas as respostas, não é?

Isto vai requerer um esforço maior do que pensamos. Necessita aprender a estar quietos e em silêncio diante de Deus, uma disciplina espiritual que só é adquirida com o tempo.

Assim, desejamos escutar realmente o que Deus tem a dizer através das palavras dos outros, enquanto escutamos e oramos para que Deus fale na situação que nos é apresentada.

Infelizmente, este pequeno artigo só é uma introdução reduzida de uma arte que tem sido perdida entre os pastores.

Por isso, recomendo a leitura do livro, “Celebrando as Disciplinas,” de Richard Foster. Existem outros bons livros, porém este é um primeiro para começar nesta direção.


Um comentário: