Se você quer ser pastor... seja primeiro parte da família


Sempre lembrarei a primeira vez que fui a uma reunião de pastores. Fiquei sem graça. Não tenho certeza de que era o que esperava, mas tenho certeza de que não esperava que fosse o que encontrei.

Parecia uma reunião de profissionais compartilhando todas suas frustrações. Falavam com rancor das suas congregações, e suas frustrações de que as pessoas pareciam que não faziam aquilo que se esperava delas. Poderia dizer muito mais coisas, porém não acho que seja apropriado.

No meio daquela reunião, um irmão de certa idade se levantou e falou com tristeza, “Em vez de estar sempre criticando, porque não começamos a mudar nossa forma de pensar... e paramos de acreditar que somos uma classe especial de cristãos. Não somos profissionais eclesiásticos, de fato, muitos de nós nem temos estudos e nem temos sido formados para este trabalho. Profissionalmente, somos um fracasso. E deve ser assim, porque ser um ministro é uma vocação, não uma profissão.”

Depois de uns segundos de silencio, observando os outros líderes, continuou dizendo, “Quando comecemos a atuar com esta verdade nas nossas vidas, então poderemos unir-nos as nossas igrejas, deixando de ver a eles simplesmente como trabalhadores da nossa empresa ou consumidores do nosso produto. Sempre tive uma ideia clara, Jesus buscava pastores que cuidasse das suas ovelhas, e não vendedores de sonhos.”

Se você sempre está criticando a igreja onde se congrega, meu conselho é: saia de lá, porque não é saudável estar sempre insatisfeito, crítico e pessimista sobre onde você está congregando ou onde você está pastoreando.

Se tenta começar sua formação ministerial, mas segue sendo critico com sua igreja, então, nunca será um pastor que ame ao povo de Deus. Se você pastoreia, mas não ama o povo, então nunca será um pastor.

Precisamos aprender primeiro a amar e desejar ser parte da igreja. Precisamos unir esforços nos propósitos de Deus. Precisamos ser primeiro ovelhas e membros, e depois líderes e pastores.

Se você não se encontra confortável na sua igreja, então precisa tomar os seguintes passos:

1.     Está sendo justo com suas criticas a sua congregação, ou denominação?
2.     Você é parte do problema ou dá solução? Por que está insatisfeito?
3.     Já falou com seu pastor?
4.     Sendo tão crítico, será que você vai ser um bom pastor?
5.     Nem todas as igrejas são iguais. Pode ser que o problema seja parte do DNA da própria igreja.

Se depois de refletir sobre estes pontos, segue sendo igualmente critico com sua igreja, então, talvez, seja tempo de buscar outra igreja, porque acredito que isto vai acontecer afinal. Portanto, não acho positivo continuar adiante em uma situação a qual você já não pertence, infelizmente.

Por certo, ainda que você pense que você tem razão e a congregação (ou denominação) esteja errada, a verdade é que pode ser tudo o contrario. Não sei, mas cada situação é bem diferente.

Se não encontra nenhuma igreja onde pode sentir-se em casa, então siga procurando e orando. Mas não observe só a musica, a doutrina, ou um aspecto particular dela. É importante que passe tempo orando, discernindo, lendo as Escrituras e a historia da Igreja. Neste momento, se tem alguém que seja seu diretor espiritual, ele será essencial nesta caminhada.

Possivelmente, Deus ainda tem que fazer grandes mudanças no teu caráter e pessoalidade.

O que a igreja não precisa neste momento, são futuros pastores que estão insatisfeitos com sua igreja. Não estou falando de pastores que querem desafiar e fazer crescer a igreja. Estou falando de (futuros) pastores que realmente são críticos sistematicamente com sua igreja, ou futura igreja.

Também, não aconselho que você tente plantar uma igreja por conta própria, porque você vai cometer muitos dos erros que agora está criticando. Sobretudo, se suas críticas são de abusos eclesiásticos.

Lembra, se você não é parte da família, você vai sentir-se como um estrangeiro, e isso só vai fazer que sua insatisfação cresça. Primeiro, seja parte dela.

Antes de ser líder, seja um membro da família... e que seja dessa relação que sua vocação surja com alegria e gratidão de coração.

Uma nota final, se você encontrar a igreja perfeita, por favor não se una a eles... porque pode deixar de ser.

0 comentários: